A maioria dos credores da fabricante e distribuidora Copel Colchões aprovou na última quarta-feira o plano de recuperação judicial da companhia. O plano, que contempla dívidas da ordem de R$ 39 milhões, foi aprovado por 100% dos credores das classes 1 e 4 – créditos derivados da legislação do trabalho e créditos de microempresas ou empresas de pequeno porte, respectivamente –, e por 70,74% dos credores da classe 3, que reúne os credores quirografários.
O plano aprovado estabelece o pagamento das dívidas trabalhistas em 12 parcelas, sem deságio. Os credores parceiros – que ainda concedem crédito à companhia – aceitaram um deságio de 57,5% para o recebimento em 120 meses, com 20 meses de carência.

Com os credores que optaram por não manter relações comerciais com a Copel foi negociado um deságio de 79% e o pagamento igualmente em 120 parcelas, 20 meses de carência.
A Copel Colchões entrou com pedido de recuperação judicial em abril do ano passado. O pedido foi protocolado na Vara Única da Comarca de Itupeva, onde fica localizada a fábrica da empresa. O plano de recuperação judicial, a reestruturação da empresa e a consultoria financeira ficaram sob responsabilidade da consultoria Ejafac. As questões jurídicas ficaram a cargo do escritório Bissolatti Advogados.

“Conseguimos mostrar aos credores que a Copel segue firme, já operando no azul depois dos primeiros meses de reestruturação”, comentou em nota Elias Azevedo, CEO da Ejafac. Como parte das medidas de reorganização da Copel, a Ejafac fechou lojas deficitárias, fortaleceu as vendas pela internet e cortou despesas da companhia.”

A Copel atua há 55 anos no Brasil, tem faturamento anual superior a R$ 100 milhões e 54 lojas. A companhia enfrenta dificuldades financeiras desde 2014. A empresa produz e venda a linha Copel Confort Line, que corresponde a 18% das suas vendas, e comercializa outras marcas brasileiras, como a Copespuma, Herval e a Flex, e algumas das mais importantes marcas do mundo, como a norte-americana Serta e a inglesa Dunlopillo.

Noticia retirada do Valor econômico: https://valor.globo.com/empresas/noticia/2020/09/17/credores-aprovam-plano-de-recuperao-judicial-da-copel-colches.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *